09
Jan

Apoio de vários financiadores

Em termos de financiamento, o projeto tem beneficiado de uma congregação de esforços. O terreno de 3000 m2 foi oferecido pela administração do Mussulo, com o aval da administração do município de Belas.

O projeto de arquitetura foi oferecido pelo arquiteto e o financiamento para a construção, orçado 1,7 milhões de dólares, foi cedido na íntegra por uma entidade individual e uma empresa angolana. O apetrechamento do posto de saúde foi oferecido pela Consaúde, a sala de informática pela Printel e serviço de tv e internet pela Zap.

“Agora é encontrar financiadores para criarmos uma rede de transportes que permita levar as crianças entre a aldeia, outras escolas em Luanda e as escolas de formação”, refere  Ana Madaleno.

A Aldeia das Artes é o grande projeto da Consaúde que, enquanto entidade gestora e administradora, não esconde o “enorme desafio que tem pela frente”.

“Em 2014 e até aos primeiros jovens formados não teremos mãos a medir. A par e passo com as atividades da aldeia serão feitas ações de iec [informação, educação e conhecimento] junto dos sete bairros da comunidade, para prevenção das principais doenças endémicas e da primeira infância, gravidez e parto, bem como campanhas para prevenção de malária, sida, alcoolismo e drogas”, continua a administradora.

No futuro, e tendo em conta a numerosa população do Mussulo, Ana Madaleno constata que “tendo a Aldeia das Artes uma capacidade para 1520 crianças por ano”, vão precisar a curto prazo – logo que haja financiamento – de “construir outra aldeia noutro ponto do Mussulo”.